Palavras que ferem

Nosso grupo de geografia tinha que representar o nordeste brasileiro. Já éramos alunos do ensino médio e nos dividimos quanto as responsabilidades de cada um para a apresentação. No dia da nossa mostra cultural, entrei no banheiro e escutei que as meninas responsáveis por usar roupas típicas estavam se trocando. Ouvi a voz de uma amiga que pediu pra que eu esperasse para ver sua roupa. Quando minha amiga saiu do banheiro, olhei pra ela e disse: "Você parece uma prostituta".

O que você acha que aconteceu? A amizade acabou. Não era minha intenção ferir os sentimentos da minha amiga. Pedi perdão várias vezes, chorei, tentei o que foi possível, mas mesmo que ela tenha dito que me perdoava, nunca mais as coisas voltaram ao normal entre nós. Já passaram quase 15 anos, ainda me lembro e lamento.

Encontrei essa frase na internet: "Uma palavra mal dita é como uma pedra atirada: a ferida sara, mas a cicatriz permanece no tempo." Já aconteceu com você? É incrível o poder que nossas palavras possuem. Podemos construir ou destruir. É muito fácil lembrar das vezes que fomos feridos, mas hoje quero te convidar a pensar nas vezes que ferimos e as lições que devemos aprender.

Senhor, se ferimos a alguém e ainda não pedimos perdão, toca nosso coração, mas acima de tudo queremos aprender a ser mais cuidadosos com o que falamos e com a forma como falamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou morar nas Filipinas

Por que vou para o Peru?

Me declaro desenraizada (síndrome de Ulisses)