O comprimido milagroso - Parte 4


Seis meses depois, eu estava no trabalho. Já cheguei com um pouco de cólica, mas estava bem, controlada. Meu comprimido tinha acabado, já tinha planos de comprar saindo dali. Comecei a sentir frio, muito frio, muito frio mesmo, e ao mesmo tempo suava. Comentei com meu chefe e continuei, mas as dores estavam se intensificando e eu sabia onde isso iria terminar. Decidi ir até a farmácia, mas quando cheguei na portaria do edifício... "bum".

Olhei para o segurança e perguntei onde ficava a enfermaria, ele me mostrou e estava a 100 metros, comecei a caminhar, e pareciam quilômetros. Quando finalmente cheguei, o médico não estava, comecei a chorar e o outro agente de segurança que estava por ali correu pra trazer o médico. Entrei, sentei e juntei forças para explicar o que estava acontecendo, expliquei tudo o que pude e pedi uma injeção equivalente ao comprimido.

Ele me colocou na maca e enquanto preparava a injeção, fazia as perguntas sobre alergias, eu gritava. Fiquei com dó do coitado do médico! Ele correu pra aplicar a injeção e ficou segurando minha mão, dizendo "vai passar, fique calma, vai passar". Acho que ele também queria chorar. O efeito da injeção era mais rápido, mas não tão rápido. E o que você acha que aconteceu? Ele não suportou ver a minha dor, chamou uma ambulância. Fui levada ao hospital. E o que aconteceu dentro da ambulância? Passou!

Antes que você pergunte, sim, nesse meio tempo entre uma cólica e outra eu fui ao médico, mas nada! Bom, nada, nada, não... cistos, nada grave.

Fiz uma promessa pra mim mesma. Nunca mais faltaria esse comprimido. Comprei vários, espalhei por todas as bolsas, em casa, no trabalho. Ficaria cercada pelo comprimido milagroso, e ao menor sinal de cólica, o tomaria rápido. 

Voltei ao trabalho no dia seguinte, tudo estava bem, muito bem, como se nada tivesse acontecido, o pessoal da segurança estava preocupado, o médico foi perguntar por mim, meu chefe ficou preocupado, mas os dias passaram e tudo ficou bem, muito bem!

Até que 1 ano depois... (continua)

Clique aqui para ler a PARTE 5

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou morar nas Filipinas

Por que vou para o Peru?

Me declaro desenraizada (síndrome de Ulisses)