O Salário do Pecado

Advertência: Se você não acredita na Bíblia, nem em Deus aconselho não ler esse texto.


Nasci numa família cristã, mais especificamente adventista, e desde que estava na barriga da minha mãe ouço mensagens com base bíblica, mas depois de 27 anos entendo que o evangelho e a vida cristã são coisas práticas. E o post de hoje é justamente sobre a minha experiência em relação ao texto de Romanos 6:23.

Os seres humanos não foram criados para entender a morte, o plano inicial de Deus era que o casal edênico fosse "evoluindo" dentro do planeta Terra e enchesse o planeta de pessoas que, assim como os anjos, fossem 100% dedicadas a Deus. A ideia era que o ser humano comesse da árvore da vida e nunca conhecesse a morte. Mas é evidente que não foi assim, mas apesar de tudo nós nunca nos acostumaremos com a morte.

Me lembro que sempre fui resistente a participar de velórios, minha desculpa era "prefiro lembrar da pessoa viva". Em toda a minha vida não me lembro de ter ido a mais de 5 velórios. Não tenho medo, nem nada disso, só preferia não marcar minha memória com a imagem da pessoa no caixão.

Mas o dia de enfrentar a morte bem de perto chegou, lá estava eu, frente ao caixão da minha mãe. Na verdade, uns minutos antes do caixão chegar me disseram que eu tinha o direito de não chegar perto, e confesso que estava decidida a não me aproximar, porém quando o caixão chegou e foi aberto eu me aproximei e senti uma espada atravessando o meu peito, era verdade!

Apesar de ter estado 20 dias sem sair do hospital, 24 horas do lado dela, de ter tocado o corpo sem vida na cama do hospital, de ter visto a retirada do quarto, de ter esvaziado todo o quarto sozinha, não senti a realidade até vê-la naquele caixão.

Já se passaram muitos anos, tudo aconteceu em dezembro de 2005, e estamos em julho de 2015, são quase 10 anos, mas sempre que se aproxima datas como aniversários, dia das mães... a história volta a ser repetida na minha mente e as lágrimas voltam a cair. 

Adão não morreu instantaneamente, mas posso imaginar o que sentiu quando viu o corpo do seu filho Abel depois de ser assassinado por Caim. E quantas outras pessoas Adão viu morrer nos seus 930 anos. A Bíblia não revela, mas é possível que Eva tenha morrido antes, imagina que dor! E cada vez que alguém morria imagino que Adão relembrava o que passou no jardim.

Isso acontece comigo, sempre que alguém morre, principalmente se foi alguém próximo, as lágrimas pela separação de 10 anos voltam a cair. Mais triste que ver a pessoa morta é a saudade, um sentimento que aumenta ano trás ano, e que só quem viveu uma experiência parecida pode entender.

A minha releitura do verso bíblico:"O salário do pecado é a separação, a saudade, a tristeza, a morte, mas o dom gratuito de Deus é o reencontro, a esperança, a vida eterna, e tudo isso conseguimos através de Jesus Cristo, nosso Senhor." 

Eu choro, pelo menos 4 vezes ao ano tenho crises de saudade, e choro. Mas "o pranto pode durar uma noite, mas a alegria nasce ao romper do dia." Por crer na graça de Jesus, mesmo que o choro seja inevitável, a alegria vem em seguida, esse é o efeito do antídoto contra a morte. A esperança!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou morar nas Filipinas

Por que vou para o Peru?

Me declaro desenraizada (síndrome de Ulisses)