Eu Confio - Volto

Ouça!
Meu orgulho foi maior que a minha compreensão
Me atirei num mundo vil, sem exitar.
Uma história que ouvi daquele filho que deixou
o seu pai um lar de amor, pra um mundo olhar.
Encontrei desilusão, emoções que se esvanessem
Mas meu Deus meu Salvador, sua mão me estendeu
Eu não mereço óh Pai, tanto amor e compreensão
Mas eu te peço óh Deus, faz-me um servo em Teu reino
Obrigado meu Deus, porque me resgatou
E hoje volto ao Teu lar de amor, Óh Senhor
Como ovelha perdida que se encontrou
Eu me entrego, aos braços do meu bom Pastor.
Enquanto andei longe de Ti
Aqueles dias eu perdi, porque só minha vontade eu quis fazer.
Os meus dias eram frios, a minha vida sem valor
Tinha tudo o que eu queria, mais sem amor.
Encontrei desilusão, emoções que se esvanessem
Mas meu Deus meu Salvador, sua mão me estendeu
nEle encontrei o amor que eu tanto buscava
E em minha oração, quero te agradecer.

Obrigado, pois me resgatou meu Deus
E hoje volto ao Teu lar de amor 
Obrigado meu Deus, porque me resgatou
E hoje volto ao Teu lar de amor, Óh Senhor
Como ovelha perdida que se encontrou
Eu me entrego, aos braços do meu bom Pastor.
Aos braços do meu bom Pastor!
Esta é a musica que quero cantar no meu rebastimo. Assustou? Sim, é isso mesmo! Há alguns meses pedi para ser removida do livro de membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia. A música acima fala tudo que você precisa saber sobre esse assunto. E mesmo parecendo clichê é a mais pura verdade.
Fico aqui pensando, a história da ovelha perdida, do filho pródigo, se repetem tantas vezes, em tantas pessoas, de diversas religiões e mesmo assim duvidamos da necessidade que temos de conexão com o vai além da mediocridade sentimental do ser humano. Somos carentes de esperança. Temos o ímpeto de fazer nossa própria vontade e esquecemos que ela esta baseada em nossa natureza pecaminosa e não pode nos levar a outro lugar senão a ruína, ruína moral, sentimental, espiritual, financeira... 
Até quando fecharemos os olhos para o que tem acontecido ao nosso redor? Até quando me manterei distante daquilo que eu sei que faz bem? Até quando vou fingir que não sei o destino do mundo e seus habitantes, e vou me manter cética?
Eu volto, mas não simplesmente a ser membro de uma instituição religiosa, mas aos braços de um Deus que me resgata e me aceita mesmo conhecendo todos os meus pecados.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou morar nas Filipinas

Por que vou para o Peru?

Diário Camboja: Um flash de corrupção em Phnom Penh